DestaqueParaíba

Primeira-dama discute com artesãos alternativas para aumentar vendas da renda renascença

0

 

 

 

 

 

A primeira-dama do Estado e presidente de Honra do Programa do Artesanato da Paraíba (PAP), Ana Maria Lins, manteve, nessa quarta-feira (30), uma série de reuniões com representantes de associações e cooperativas de artesãos que trabalham com a renda renascença para discutir alternativas para ampliar a comercialização. As visitas ocorreram em Camalaú, São João do Tigre e São Sebastião do Umbuzeiro, no Cariri paraibano.

Acompanhada de auxiliares do Governo do Estado que também fazem parte do Programa do Artesanato da Paraíba, Ana Maria Lins começou a visita pela Associação das Rendeiras de Camalaú. No espaço, construído com recursos do Governo do Estado, a primeira-dama discutiu com as artesãs as possíveis alternativas para aumentar as vendas da renda renascença, uma das principais tipologias que simbolizam o artesanato paraibano.

Ana Maria Lins destacou que são grandes as oportunidades que podem ser geradas pela renda renascença. “Eu fiquei encantada com todo o trabalho feito por essas guerreiras. Esse é um momento muito importante de discutirmos um conjunto de ideias para que essa tipologia, típica da região do Cariri, possa ser ainda mais valorizada”, afirmou, lembrando as ações do Governo do Estado no desenvolvimento do artesanato paraibano, a exemplo da construção de espaços para que artesãos atuem em cooperativas e associações.

Em seguida, a primeira-dama do Estado se reuniu com artesãos da Associação dos Artesãos de São João do Tigre e também com artesãos de São Sebastião do Umbuzeiro, onde anunciou oficinas, a partir de segunda-feira (4), em Monteiro, com o estilista Ronaldo Fraga, que resultará numa coleção de renda renascença.

A gestora do Programa do Artesanato da Paraíba, Marielza Rodriguez, ressaltou a importância da visita da primeira-dama às rendeiras do Cariri do Estado. “A renda renascença envolve mais de 4 mil artesãos, e dentro da perspectiva do governador João Azevêdo, que tem dado prioridade ao artesanato, a primeira-dama vem conhecer de perto todo o trabalho da renda renascença, para apoiar de maneira ainda mais efetiva”, comentou.

Já coordenador do Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú (Procase), Aristeu Chaves, explicou as medidas que o projeto pode adotar para melhorar a comercialização da renda renascença. “O Procase tem uma atuação ampla, mas, especificamente com relação às rendeiras, temos levado para participar de vários eventos que têm o potencial de aumentar ainda mais a comercialização, por exemplo”, disse. “Essa série de visitas, liderada pela primeira-dama, vem mostrar que a renda renascença tem potencial para ser cada vez mais viável”, prosseguiu.

Participaram ainda das reuniões com as rendeiras do Cariri paraibano a curadora do Programa do Artesanato da Paraíba, Janete Rodriguez, e a diretora-superintendente da Superintendência de Obras do Plano de Desenvolvimento do Estado (Suplan), entre outros auxiliares.

Boas expectativas – Na reunião, as artesãs que fazem parte da renda renascença agradeceram a visita da primeira-dama do Estado e se mostraram otimistas com as alternativas apontadas para aumentar as vendas.

Marli Farias, presidente da Associação dos Artesãos de Camalaú, destacou a importância da visita da primeira-dama para conhecer de perto o trabalho deles. “É um momento em que temos a oportunidade de mostrar o que achamos que deve melhorar no nosso trabalho. A primeira-dama reconhece o valor do nosso trabalho, o que nos deixa ainda mais à vontade nas nossas pautas”, afirmou.

Fátima Cavalcante, da Associação dos Artesãos de São João do Tigre, também agradeceu a visita da primeira-dama. “Essa visita vem deixar ainda mais próximo o Governo do Estado de todos nós, principalmente quando vem discutir ações para melhorar ainda mais o nosso trabalho”, comentou.

COMENTÁRIOS